quarta-feira, 2 de maio de 2007

- Microgeração e ondas valem quase três "Autoeuropas"

Portugal encontra-se entre os países pioneiros na investigação em energias renováveis. Contudo,
e apesar do conhecimento acumulado nas instituições de investigação, a indústria nacional tem-se mantido afastada desta área de negócio, pelo que estas tecnologias não têm sido integradas em produtos finais e, consequentemente, valorizadas comercialmente. Como resultado, o nosso país importa tecnologia integrada nos equipamentos que adquire a empresas estrangeiras.
A energia eólica constitui um bom exemplo desta situação. Apesar de existirem entidades nacionais a investigar nesta área desde há muito – a primeira turbina eólica instalada em Portugal data de 1984 – não existem produtores portugueses de equipamentos para produção de electricidade a partir do vento. [ler +]

6 comentários:

Pedro Castro disse...

Aveiro não tem ondas meu caro. A não ser que pudesse mobilizar o projecto para S. Jacinto, ou pedir vassalagem a Ilhavo e Vagos, para utilizar as ondas na costa.

Ricardo Pinto disse...

Portugal é dos primeiros na investigação, mas não é dos primeiros em medidas de apoio ao aproveitamento e implementação de mecanismos para transformar a energia. Como tal ainda há muito que fazer até considerarmos esta medida uma boa medida.

Já agora, a universidade de Aveiro, tem investigação feita neste sentido, conversa com eles e aprofunda o conceito, e pode ser que um dia a cãmara de Aveiro possa ter energia deste tipo a servir uma ou outra arteria da cidade.

Anónimo disse...

É o futuro, venha a atitude e as medidas politicas para agilizar este processo junto das populações...

Anónimo disse...

Se o investimento é assim tão avultado, certamente que dividindo proporcionalmente pelo pais Aveiro deve ficar com uma parte interessante, até porque tem trabalho desenvolvido na área.
Já agora quem fez esta medição de investimento, era interessante saber...

Anónimo disse...

Seria engraçado, o estado comparticipar um moinho de vento em cada habitação, para iluminar pelo menos o jardim...

Anónimo disse...

Ahhh...
Que obriguem os grandes grupos/comilões a investirem tb nesse tipo de energia. Na energia solar (e na eolicas)vieram todos cheios de fome...
Fartaram-se de chumbar projectos(E.Solar) de pequenos grupos aconselhando-os a investir nas outra formas (E.eolicas /E. mares)... pois,pois,... uns comem a carne e os outros os ossos...